Editora não cumpriu o contrato. E agora, José?

6 comentários

Há um tempo atrás assinei um contrato com uma editora de quadrinhos para publicar um trabalho meu. Tudo parecia muito bacana, muito interessante e promissor… até o momento de cumprirem a principal parte do processo. Pagar meus direitos pelas vendas das edições, claro.

Na verdade, a editora não foi a responsável pela publicação. Eu banquei todos os custos da edição. O serviço que eles prestariam era de distribuição. Na época, eu não tinha nenhuma condição de distribuir nada, sequer de colocar um número de ISSN na revista, coisa que as livrarias exigem para colocar qualquer publicação em série nas suas prateleiras (a menos que se trate de fanzine em consignação). Então, como era uma editora “disposta a investir no mercado de HQs nacionais”, eles usariam o cadastro deles na agência responsável pelo cadastro de ISSN, disponibilizariam a revista em sua loja online, comercializariam em livrarias locais (do estado deles) e nos eventos em que participassem. Era mais uma parceria entre dois colegas de trabalho que queriam impulsionar o mercado.

Também fazia parte do acordo que eles intermediassem o meu contato com a gráfica. Ou seja, eu paguei, mas só eles tinham acesso a empresa responsável pela impressão.

Segundo o contrato, eles deveriam me enviar um relatório de vendas em determinado período. Também deveriam ter enviado a nota fiscal da gráfica. Também segundo o contrato ficariam com 40% da tiragem para vender e me repassar 90% do bruto.

Agora tentem adivinhar: eu recebi algum desses serviços?

Exceto o intermédio com a gráfica, não.

Não recebi nota fiscal, não recebi relatório de vendas, meu produto não está à venda na loja virtual (que nem está mais online), não vi sequer uma foto dos eventos (embora tenham me relatado uma meia dúzia de palavras a respeito), não recebi um centavo furado das vendas (e vendeu?).

Ainda segundo o contrato, ao fim da validade do mesmo, a editora deveria me devolver as edições restantes. Até agora nem sinal.

Bem, não preciso dizer mais nada, né?

Tentei contato várias vezes. Depois esqueci, depois não tive tempo, depois tentei de novo e deixei quieto. Sou muito bonzinho nessas coisas, acredito no bem da humanidade e que as pessoas são de coração puro que nem os Ursinhos Carinhosos (e isso ainda vai me matar), mas paciência tem limite. Recentemente li uma notícia sobre uma editora que nunca existiu e enganou e prejudicou o sonho de muitos jovens autores. O texto me fez pensar que o mesmo que aconteceu comigo pode estar acontecendo com as centenas de quadrinhistas, fanzineiros e pessoas que sonham em fazer HQs que passam por esse blog todos os dias. São pessoas que desconhecem esse lado obscuro do mundo editorial, lado que eu já conhecia 10 anos atrás, nos idos tempos da Sequential Artists. Isso ainda existe e continua atropelando sonhadores inocentes e ingênuos.

E eu decidi que, se depender de mim, isso não vai mais acontecer. Ou pelo menos as pessoas que aqui passam ficarão avisadas de algumas coisinhas que acontecem desde que meu avó tinha dentes.

Durante os anos, acumulei alguma experiência e, mesmo acreditando na bondade do ser humano, lá no fundo, sei que ela às vezes está muito bem escondida em meio aos entulhos do egoísmo, malandragem, do desejo de se dar bem independente dos meios.

Em breve atualizarei a situação do meu caso, caso eu receba retorno da editora.

Também postarei algumas dicas usando o que aprendi nessa experiência para que você seja vacinado contra a pilantragem editorial.

Depois o mercado não avança e ainda não se sabe o porquê. Tá, senta lá.

Quanto a esse meu caso em específico, nao sei dizer se foi pilantragem mesmo ou um caso de boas intenções que morreram na praia deixando a empresa atolada de dívidas. Mas a falta de comunicação levanta suspeitas, né? Vamos aguardar para ver qual é.

Concurso – Deuses

Deixe um comentário

Diversas mitologias contam as histórias de deuses e deusas que, de alguma forma, influenciam a vida na terra. Sejam gregos, romanos, babilônios, egípcios, astecas, chineses, celtas, judaico. Todos tiveram algum papel na história da humanidade, desde a descoberta do fogo às grandes guerras, ou até mesmo nas histórias de amor. E não é hoje que será diferente.

Em DEUSES, esses seres agirão conforme a onipotente vontade do autor. O que eles estão fazendo hoje pela – ou COM – a humanidade? Quais são suas motivações? Eles são amorosos ou terríveis? Por onde andam as divindades de povos extintos?Como eles agiriam nos dias de hoje? À moda antiga ou aderindo à tecnologia? Guerras contemporaneas podem ser decididas em um conflito cósmico de titãs, homens ricos, poderosos e grandes governantes do mundo moderno podem se revelar semi-deuses ou messias. O mendigo da esquina pode ser o Grande Arquiteto do Universo, apenas a nos observar.

Os deuses podem estar onde menos se imagina.

A Infinitum Littera apresenta seu próximo concurso de contos em e-book. Nessa antologia os autores divinamente inspirados revelarão a atuação dos deuses na atualidade.

O objetivo desse concurso é reunir bons autores e excelentes contos em uma obra online gratuíta que receberá todo o cuidado na edição, diagramação, design e, mais importante, divulgação, sendo mais uma opção para os novos autores ganharem projeção e destaque. Além disso, queremos promover ainda mais os desafios de escrever contos sobre temas específicos.

 

Nos contos enviados para inscrição, é obrigatório:

– Um ou mais deuses de qualquer mitologia/religião
– Ambientar nos dias atuais
– Seguir as principais características do(s) deus(es) escolhidos. Por isso, pesquise bastante.
– Suas (dos deuses) ações influenciam e trazem consequencias diretamente um ser humano, um povo, cidade, país ou toda a humanidade, como não poderia deixar de ser.

Autora convidada: Sarah Micucci, autora do livro “Pelos Poderes dos Deuses Olimpianos

Organização: Daniel Cavalcante e Jow Cordeiro.
Não deixe de ler o regulamento do concurso.

Cartaz de chamada:

Contos Sobrenaturais em audio

3 comentários

As novidades abissais que vim trazer hoje são os anúncios da antologia de contos do programa Contos Sobrenaturais e da radio-novela sobrenatural. A rádio comunitária Digital Rio inova e realiza concursos para um audio-book com os melhores contos sobrenaturais e uma novela que será transmitida pelas ondas FM.

O programa que vai ao ar todas as sextas, à meia noite, com reprise aos sábados, às onze, é uma iniciativa da Anny Lucard para levar a literatura fantástica nacional para o formato de audio. Qualquer um pode enviar seus contos, desde que não sejam muito extensos e tenham o fator sobrenatural e torcer para ser escolhido para o programa.

Além disso, em Janeiro foi divulgada a antologia em audio-book, entitulada Vampiros de Alma – A lenda de Succubus e Incubus. Quem quiser participar deve enviar seu texto sobre essa lenda que deu origem aos vampiros que conhecemos hoje. Os contos devem ter até 4 laudas e não serão aceitos mini-contos.

E como não bastasse, a rádio está promovendo um concurso de rádio-novela. O tema é livre, desde que haja o fator sobrenatural. A quantidade de personagens é limitada a 2 homens e 3 mulheres (uma pena, eu costumo usar o dobro disso). A novela deve ter entre 6 a 12 laudas.

Para participar tanto para o programa quanto para os concursos, envie os textos pelo email: digitalrio.jacarepagua@gmail.com

Para saber mais detalhes sobre os dois concursos, confira o post no blog do programa.

Book Tour – A corrente do livro

3 comentários

Sempre vagando, caindo, sugado por esse abismo infinito de portais randomicos, você vê, voando ao seu lado, como se fosse um bando de gaivotas, LIVROS!, sim, livros voadores, pairando, de quando em quando, sobre casas flutuantes. Eles estão por aí há muito tempo, sempre sendo endereçados de uma pessoa a outra, como uma corrente. É uma Book Tour.

O conceito de Book Tour já é antigo, mas ainda é novidade para muita gente. Eu mesmo não conhecia por este nome.

A idéia é baseada na parceria e na confiança. E nunca se falou tanto nesses dois termos como se fala onde em dia, graças a internet, pois ela ajudou a divulgar essa e outros tipos de iniciativa.

Um Book Tour é exatamente o que o nome sugere. O livro viaja nas mãos dos leitores interessados em ler de graça ou por um pequenos custo (de frete) e comprometidos a resenhar a obra. Simples assim. Você recebe o livro na sua casa, lê, faz uma resenha em seu blog ou, sei lá, no skoob, e envia a obra para o próximo da lista. Maravilhas, heim? E se gostar, você compra xD

E hoje eu vim aqui falar sobre uma Book Tour que a Sarah Micucci, parceira da antologia Deuses, da editora Infinitum, está promovendo de seu livro Pelo Poder dos Deuses Olimpianos.

Segue a sinopse do livro:

Você já parou para se perguntar como o mundo foi criado? Claro, existem as explicações que a Bíblia nos oferece. Assim como existe a teoria da evolução de Darwin, que também se propõe, cientificamente, a explicar. E antes da Bíblia e de Darwin? Os gregos explicam! A mitologia grega revela a criação do mundo a partir de uma divindade chamada Caos. Só que nessa época o universo era bagunçado, era verdadeiramente um caos. E eis que surge um deus que traz a ordem para essa desordem: ZEUS. Com ele dá-se o início de um super time de 12 deuses, todos com poderes especiais. Cada um deles tem uma história fascinante que se desenrola num reino encantado chamado Olimpo. Você vai se encantar com ATENA, a deusa da sabedoria, ou se enraivar com ARES, o deus da guerra, que só faz besteira. Divirta-se com as fantásticas aventuras dos doze deuses olimpianos!

Se você quiser receber o livro em casa e ser um dos pontos turísticos da turnê dessa obra, entre no blog da autora e siga as instruções.

http://imperiodosdeuses.blogspot.com/

Antologia de Contos “Lugares Distantes”

4 comentários

Antologia Lugares Distantes

Onde não há olhos para vigiar ou lei para punir, os instintos mais selvagens despertam. Casebres no meio do nada, sítios, florestas, esgotos da cidade, comunidades e seitas religiosas secretas, planetas remotos – lugares esquecidos ou jamais vistos pela sociedade são o palco de atos inconcebíveis.

Quais leis seriam adotadas? Para onde a vítima poderia fugir? E se algum desavisado adentrasse nesse território?

Violência física ou psicológica em uma terra de ninguém. Vale tudo onde a única coisa capaz de parar o homem é sua própria consciência – se ele a tiver.

Refugie-se nos lugares mais distantes de sua mente. Ninguém estará lá para ver.

A Infinitum Littera apresenta sua primeira antologia de contos em e-book. E tem o prazer de convidar você, autor, a invadir lugares inóspitos, trazendo à luz o pior que a mente humana pode fazer quando nada mais a impede. Em Lugares Distantes e inquietantes, não haverá para onde o leitor fugir e ninguém o ouvirá gritar.

Veja o post do concurso no blog da Infinitum Littera.

Chamada para antologia Lugares Distantes

Clique para ampliar o cartaz da chamada para a antologia Lugares Distantes

Decálogo do perfeito contista

1 Comentário

por Horacio Quiroga

Achei interessante para quase qualquer gênero de narrativa. Inclusive HQs.

I

Crê num mestre – Poe, Maupassant, Kipling, Tchekov – como na própria divindade.

II
Crê que sua arte é um cume inacessível. Não sonha dominá-la. Quando puderes fazê-lo, conseguirás sem que tu mesmo o saibas.

III
Resiste quanto possível à imitação, mas imita se o impulso for muito forte. Mais do que qualquer coisa, o desenvolvimento da personalidade é uma longa paciência.

IV
Nutre uma fé cega não na tua capacidade para o triunfo, mas no ardor com que o desejas. Ama tua arte como amas tua amada, dando-lhe todo o coração.

V
Não começa a escrever sem saber, desde a primeira palavra, aonde vais. Num conto bem-feito, as três primeiras linhas têm quase a mesma importância das três últimas.

VI
Se queres expressar com exatidão esta circunstância – “Desde o rio soprava um vento frio” -, não há na língua dos homens mais palavras do que estas para expressá-la. Uma vez senhor de tuas palavras, não te preocupa em avaliar se são consoantes ou dissonantes.

VII
Não adjetiva sem necessidade, pois são inúteis as rendas coloridas que venhas a pendurar num substantivo débil. Se dizes o que é preciso, o substantivo, sozinho, terá uma cor incomparável. Mas é preciso achá-lo.

VIII
Toma teus personagens pela mão e leva-os firmemente até o final, sem atentar senão para o caminho que traçaste. Não te distrai vendo o que eles não podem ver ou o que não lhes importa. Não abusa do leitor. Um conto é uma novela depurada de excessos. Considera isso uma verdade absoluta, ainda que não o seja.

IX
Não escreve sob o império da emoção. Deixa-a morrer, depois a revive. Se és capaz de revivê-la tal como a viveste, chegaste, na arte, à metade do caminho.

X
Ao escrever, não pensa em teus amigos nem na impressão que tua história causará. Conta como se teu relato não tivesse interesse senão para o pequeno mundo de teus personagens e como se tu fosses um deles, pois somente assim obtém-se a vida num conto.

Retirado do Ofício Literário.

Entrevista com Gian / Tarja Editorial

Deixe um comentário

Editora Tarja Editorial

Sábado, meu último dia em São Paulo, fui no Science’n’Fiction – depois postarei a respeito. Lá havia uma sala com stands das editoras Draco e Tarja Editorial. Eu já sabia que meu antigo colega e roteirista de quadrinhos Gian era um dos donos da Tarja Editorial, mas não esperava encontrá-lo por lá. Foi uma surpresa legal, porque não nos falávamos desde… desde… sei lá, 2000, eu acho.

Conversamos um pouco, meio naquelas… porque, né? Fazia tempo. Mas no final do evento trocamos umas boas idéias e o Gian, como sempre falando pelos cotovelos, concordou em gravar uma entrevista.

Ajudei ele a carregar o estoque e fomos até uma lanchonete, onde ele almoçou um cachorro quente às 7 da noite enquanto me contava anedotas sobre o mercado editorial e depois gravamos a entrevista.

Falamos sobre mercado editorial, novos autores nacionais, leitores, formação autoral, jornada do herói / Joseph Campbell, dicas para escrever e a função do editor. Vale muito a pena para quem lida com HQs também, pois a maioria das dicas serve para qualquer área artística.

Depois da entrevista, ainda ganhei três livros com dedicatória xDDD
Depois posto o release aqui no blog.

A Tarja Editorial é uma editora que atua há 3 anos no mercado e tem lançado livros de literatura fantástica (fantasia, terror, ficção científica, cyberpunk, steampunk, etc), sendo alguns deles romances e outros antologias de contos. Entre suas publicações estão a coleção Paradigmas, a antologia Steampunk – Histórias de um Passado Extreordinário e o romance Cyber Brasiliana.

É uma ótima oportunidade para autores iniciantes tentarem uma publicação. E recomendo enfaticamente os roteiristas de HQs começarem a escrever contos e tentar a sorte. Mas caprichem, nada de entupir a caixa de email da editora com porcarias mal-escritas.

Ouça a entrevista com Gian, da Tarja editorial clicando aqui.

Older Entries

%d bloggers like this: